Tia Maria do Jongo na festa de final de ano do Coletivo Sindicato do Samba

Retomando o projeto “Flores em Vida”, que presta homenagem e visita a obra de grandes mestres e mestras do samba e da nossa cultura popular, o Coletivo Sindicato do Samba recebe Tia Maria do Jongo para a última roda de 2018.

No dia 9 de dezembro, o Centro Cultural Solar Wilson Moreira será palco de um encontro especial e emocionante. Teremos a honra de receber a maioral, poderosa, maravilhosa, Tia Maria do Jongo na nossa roda roda do projeto Flores em Vida! É o nosso templo sagrado, o Centro Cultural Solar Wilson Moreira, abrindo, mais uma vez, suas portas para os baluartes da nossa cultura!

Daquele jeito, sempre com muita amizade e respeito! Ah! Para quem não conhece, nossa festa inicia a partir das 14 horas e tem entrada gratuita. Importante lembrar: há uma contribuição voluntária e consciente e nosso evento auxilia na reestruturação do Solar 😉

O cardápio será carinhosa e especialmente preparado pelo Santo Gengibre. Uma dica: pode vir com fome!

Chama quem é de bem e chega junto! Vamos compartilhar amor e nos divertir juntos! Sempre!
Axé!


No dia também teremos:

  • Comemoração dos aniversários de Rubem Confete e Toninho Nascimento.
  • Homenagem aos mestre do Coletivo: Wilson Moreira, Wilson das Neves e Luiz Grande.

Tia Maria do Jongo na roda do Coletivo Sindicato do Samba
9 de dezembro | domingo | a partir das 13 horas

Centro Cultural Solar Wilson Moreira
Rua Barão de Ubá, 46 – Praça da Bandeira (RJ)

Mais informações no evento no Facebook: http://bit.ly/TiaMariadoJongonoSolar

Sambista de fato, rebelde por direito: Aluísio Machado no Solar

Ganhador de 13 sambas-enredo no Império Serrano, baluarte é o compositor homenageado na roda do dia 26 de agosto, no Centro Cultural Solar Wilson Moreira, no Rio de Janeiro.

Não tem nem que falar que para nós do Coletivo Sindicato do Samba é uma honra e alegria gigante receber um dos grandes bambas do Samba e do Império Serrano em nossa roda, né?

Pois é, bom demais! Já anota na agenda: no domingo do dia 26 de agosto, dando continuidade ao projeto Flores em Vida, que acontece mensalmente no Centro Cultural Solar Wilson Moreira, iremos receber o baluarte Aluísio Machado.

Para quem ainda não sabe, não custa nada lembrar: o evento ajuda no processo de reestruturação do Solar Wilson Moreira e por aqui já passaram nomes incríveis da música brasileira como Nelson Sargento, Wilson Moreira, Edil Pacheco, Adelzon Alves e muitos outros.

Chama quem é de bem e chega junto, afinal, somos sambistas de fato e rebeldes por direito!

Aluísio Machado

Aos 79 anos, o bamba Aluísio Machado é um dos grandes baluartes do samba e do Império Serrano, uma das mais importantes escolas de samba do Rio de Janeiro.

É autor de sambas consagrados como “Minha Filosofia” e “A Humanidade”, além de já ter vencido 13 disputadas de samba-enredo na agremiação imperial. No domingo cantaremos seus sambas e ouviremos suas histórias! Abaixo, alguns dos seus sambas! 😉

Duas parcerias clássicas com o lendário Beto sem Braço

*** *** ***

Aluísio Machado na roda do Coletivo Sindicato do Samba
26 de Agosto | domingo | a partir das 13 horas

Centro Cultural Solar Wilson Moreira
Rua Barão de Ubá, 46 – Praça da Bandeira (RJ)
Evento no Facebook (confirme presença e convide os amigos e amigas)

Entrada gratuita (contribuição voluntária e consciente no chapéu)

 

Silas de Oliveira, o maior compositor de samba-enredo

Homenagem do Sindicato do Samba ao maior poeta de sambas-enredo de todos os tempos, Silas de Oliveira, que nos deixou há exatos 43 anos

Autor de clássicos como “Aquarela do Brasil”, “Heróis da Liberdade” e “Meu Drama”, Silas foi um dos fundadores do Império Serrano.

Professor de português, o artista não precisava de muito para compor: “A inspiração vinha na companhia de um livro de história, um lápis e uma caixa de fósforos”, como conta essa boa reportagem do Jornal Extra.

Com o tempo, as modificações nos sambas-enredo, com andamentos mais acelerados e obras mais curtas, acabou por afastar Silas das disputas. No total, o compositor ganhou 16 sambas em sua escola.

No dia 20 de maio de 1972, Silas foi participar de uma roda de samba, em Botafogo. Ao cantar o histórico “Os cinco bailes da história do Rio” (http://bit.ly/1BcnBxT), teve um infarto e não resistiu.

Para quem quiser saber mais sobre a vida do músico, vale ver o documentário dirigido por José Maurício de Oliveira e exibido pela TV Cultura e Arte, do Ministério da Cultura.

Salve Silas de Oliveira!
Salve o Samba e a Cultura Popular!
Salve o Império Serrano!

Documentário sobre Silas:
http://bit.ly/1KknOY3